how to build your own website for free

PEDRO ABRUNHOSA

Sentados no tempo cor de escarlate, apreciamos o momento, num cadeirão de forma oblonga, configurado em confortável estofo de pele natural. A acompanhar a silhueta curva, uma faixa de madeira maciça de castanho suporta um exclusivo trabalho de talha com o tema camélias.

Num ponto preciso deste fragmento de madeira curvado e esculpido fixa-se o pé central e giratório. Para prolongar o momento e aumentar o conforto acrescenta-se um apoio para os pés, recorrendo de novo ao estofo escarlate e à talha com camélias.

O desenho da peça alia contemporaneidade e tradição, articulando múltiplos processos e ferramentas, da máquina CNC aos métodos tradicionais do marceneiro, do casqueiro, do entalhador, do polidor e do estofador – num singelo contributo para a manutenção e reinvenção de técnicas tradicionais.

Do sonho e da intenção do desenho se reinventa a forma, agora construída, real, material. Também espiritual, quando, sentados no tempo cor de escarlate, sentimos o perfume, imaginado, das flores de Camélia.

Sónia Teles e Silva e Sérgio Secca O “Cadeirão Tempo” Pedro Abrunhosa da marca Abrunhosa by SJGS, tem concepção da SJGS Arquitectos, dos arquitetos Sérgio Secca, Sónia Teles e Silva, João Paulo Fernandes e Gustavo Rebolho, com modelação 3D desenvolvida pela Arq.Sofia Laúndes e execução da empresa “Pereira da Costa Mobiliário”, com coordenação do Eng. Gilberto Jesus.

Pedro Abrunhosa, Autor, Compositor, Produtor, tem, através da escrita de canções, contribuído para perpetuar a narrativa do quotidiano, da simplicidade, do amor e do descaminho.

A Canção em Portugal tem sido, ao longo dos séculos, um dos veículos mais constantes na afirmação da identidade coletiva, como arte agregadora que é.

Neste sentido, escrever tem sido para Pedro Abrunhosa uma forma de acender futuros e inserir o país num mais vasto roteiro onde a linguagem da Música se faz ouvir nos palcos de maior visibilidade. Nesta parceria com a CM de Paços de Ferreira celebra-se tradição e contemporaneidade. Tal como nas suas músicas, o cruzamento entre o saber, aqui sob a forma da secular arte da Talha, e a ruptura estética do gabinete SJGS que desenvolveu o Cadeirão Tempo, ganha forma nesta peça que é, em simultâneo, funcional e exclusiva..